Share Voto Rápido

Poll link

500 px
350 px
250 px
Pré-visualizar

- Pré-visualizar

Largura - Altura em pixeis - pixeis

Fechar pré-visualização
! Está a usar um navegador que não é compatível A sua versão do navegador não está otimizada para a Toluna, recomendamos que instale a versão mais recente Atualizar
A nossa Política de Privacidade rege a sua participação no nosso Painel de Influenciadores, que você pode acessar aqui. O nosso website usa cookies. Como no mundo offline, cookies tornam qualquer situação melhor. Para aprender mais sobre os cookies que são usados no nosso website, verifique a nossa Política de Cookies.

jay_carry

  3 meses atrás

O Brasileiro que roubou o nome de uma criança morta e viveu como norte-americano durante 23 anos
Fechado

Ricardo César Guedes, um homem brasileiro com 49 anos, fez-se passar por William Ericson Ladd, uma criança norte-americana morta.

William Ericson Ladd nasceu em 1974 e morreu num acidente de carro em 1979, quando tinha apenas cinco anos. Ricardo nasceu em São Paulo em 1972 e assumiu a identidade de William Ladd em 1998, ao candidatar-se com sucesso a um passaporte americano com o nome falso da criança.

Durante 23 anos passou impune, a viver como se fosse norte-americano e construindo uma carreira de comissário de bordo numa das maiores companhias aéreas do mundo, a United Airlines. No entanto, acabou apanhado em julho de 2021 quando tentou renovar o passaporte.

Em dezembro de 2020 já tinham sido identificados “vários indicadores de fraude”, mas só em julho do ano passado, com o avanço da investigação, é que a mãe do menino, Debra Lynn Hays, prestou depoimento e confirmou o nascimento e a morte da criança às autoridades.

Os investigadores conseguiram através das impressões digitais do homem identificar a verdadeira identidade no Brasil. O brasileiro foi acusado de fornecer declaração falsa no pedido de passaporte e foi preso no aeroporto antes de embarcar num voo.

Ricardo conseguiu esconder a sua verdadeira identidade porque, como trabalhava como comissário de bordo, conseguia escapar aos procedimentos de imigração embarcando como “tripulante conhecido” e contornando a maioria das verificações de segurança.

Isto é só trafulhices...e como este caso existem muitos, muitos, muitos mais de certeza! Então envolvendo sul americanos deve ser uma loucura... Infelizmente estas coisas ou nunca são descobertas ou levam quase uma vida inteira até serem. Eu acho que é mesmo um desrespeito pela familia das vitimas que é inaceitável.
Já tem ouvido mais historias deste género ou apenas casos pontuais?
Responder

afradinho

  3 meses atrás
Xiça.... ele há cada uma.
0 comentários

Copiado para a área de transferência

Está quase lá

Para poder criar conteúdo na comunidade

Verifique seu e-mail / reenviar
Não, obrigado! Estou apenas de passagem

OK
Cancelar
Desactivamos a funcionalidade de login com Facebook. Por favor, digite o e-mail associado ao seu Facebook para receber um link de criação de palavra-passe.
Por favor, insira dados válidos para Email
Cancelar
A processar...
Quando coloca uma imagem, o nosso site fica melhor.
Carregar